segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Prazer em voar

Postada novamente na íntegra em 01/02/2011 com título Paulistinha P56-C

Reportagem clicada da Revista Aeromagazine - Edição Histórica nº 112 (disponível para venda em www.revistaaeromagazine.com.br assim como no site Mercado Aberto.
Aumente o zoom da página e caso não consiga visualizar, as fotos estão armazenadas em 
http://www.flickr.com/photos/56135521@N02/sets/72157625819386253/
















Muito triste, lamentável acidente com esse PP HLV , cujas causas ainda estão sendo investigadas. Faleceram no ato o instrutor Ricardo Giannon Cunha, 22 anos e seu aluno João Henrique Mendonça, 18 anos. Que suas almas estejam em paz, nossas condolências aos familiares e amigos.








17/11/2010
Duas pessoas morrem após queda de avião no Aeroclube de Bragança Paulista
Da redação
Fotos: Fabiano Costa / BJD
Logo após decolar, a aeronave envergou para a lateral e caiu, incendiando-se e causando a morte dos jovens

  
Acidente anterior:
Por volta de 15h15 de segunda-feira, dia 15, um avião modelo P-56, prefixo PP-HLV, caiu logo após ter decolado do Aeroporto Arthur Siqueira.

Conforme informações que constam em boletim de ocorrência, o avião era pilotado por Rafael Giaccon Cunha, 22 anos, e tinha como passageiro João Henrique Mendonça, 18 anos. Após decolar, a aeronave envergou para a lateral da pista e, em seguida, caiu ao chão, incendiando-se.

Segundo peritos do Instituto de Criminalística, equipe de perícia da Aeronáutica e bombeiros, as vítimas morreram na hora. Uma equipe do Seripa-4 (Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) esteve no Aeroporto para dar início às investigações sobre o caso.

Os corpos das vítimas foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para exames necroscópicos.

21 AGO - Aeroclube de Bragança Paulista - AK PA-56 C-1 - PP-HLV






A aeronave decolou do Aeroporto de Bragança Paulista - SP (SDBP) para um vôo re recheque de Instrutor de Vôo e Monomotor Terrestre, tendo a bordo checando e checador. Na decolagem, ao atingir a velocidade de 40 mph, o checando começou a picar a aeronave e esta saiu do solo com baixa velocidade, abrindo 45 graus à direita da pista, ainda a baixa velocidade e com pouco controle. Essa situação permaneceu até que a aeronave, oscilando de asa, colidisse com o solo, sofrendo avarias graves. Os dois ocupantes tiveram lesões leves.

lELeia mais em  http://www.thekathrynreport.com/2010/11/neiva-p56-c-aeroclube-de-braganca.html

e também:



Avião 'Paulistinha' é considerado seguro por pilotos

O avião acidentado em Bragança Paulista é um P-56, conhecido como Paulistinha. O modelo é muito utilizado em instruções de voo (veja quadro abaixo) e é um equipamento considerado seguro.
"Essa aeronave faz parte de um projeto idealizado na década de 50. É um equipamento dócil, largamente utilizado em instruções e formou a maioria dos pilotos que estão hoje no mercado aeronáutico civil", explica Plinio Vicentin, piloto há 22 anos, atualmente baseado no aeroclube de Guaratinguetá.

Segundo Plinio, a manutenção do aeroclube de Bragança Paulista é uma das melhores do país. Um fator considerado desafiador para este modelo de aeronave é a força dos ventos. "É uma aeronave muito leve e com vento muito forte o voo se torna perigoso", diz o piloto.

As causas do acidente devem ser divulgadas em até 60 dias, após perícia da Aeronáutica e da Agência Nacional de Aviação Civil.

A aeronave já esteve envolvida em outro acidente

A aeronave acidentada ontem, o Neiva P56 C1 'Paulistinha', prefixo PP-HLV, sofreu um acidente em 2004, quando também registrou problemas na decolagem. Na ocasião, 2 pessoas ficaram feridas.
Fonte e arte: VNews



sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

SENSITWITIVE: Para não ter medo de avião

SENSITWITIVE: Para não ter medo de avião



Para não ter medo de avião



Apesar de as estatísticas mostrarem que o avião
é um meio de transporte confiável e seguro, muitas pessoas têm medo de voar.  Continue a ler no Blog da Revista Minha Viagem do Sergio Quintanilha


E não deixe de ler o Comente inúmeras manifestações que provocaram o 


post  Sobre o avionês também do Sergio Quintanilha

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Propaganda do CAP4

Cap-4 Paulistinha - O traço de união das américas.
Publicada na Revista O CRUZEIRO em 1947


Veja também: http://paulistinhap56.blogspot.com/2011/04/64-anos-de-voo.html uma linda imagem de um CAP4 aos 64 anos!

Veja todas postagens deste bblog http://paulistinhap56.blogspot.com/2011/03/todas-postagens-2011.html








Canoense treina falcões para atuar em aeroportos

Animais são utilizados para o controle de pombos, quero-quero e urubus.

Marcos Merker - Diário de Canoas - 4/4/2008

Transformar a paixão de infância pelos falcões em uma atividade comercial foi o que fez o canoense Gustavo Trainini, morador do bairro Rincão Gaúcho. Biólogo formado pela Ulbra, ele percebeu a oportunidade de usar o conhecimento e a habilidade no domínio de aves para investir em um segmento de negócio ainda pouco conhecido no país, o de falcoaria.

O contato com os falcões começou como brincadeira, aos 12 anos, quando Trainini treinava as aves para depois soltá-las. Já na faculdade, ele passou a direcionar sua formação nesse sentido, culminando, em 1999, em uma especialização de três meses no curso de falcoaria para controle de aves em aeroportos, na Argentina. "Decidi (naquela época) que ia implantar este serviço no Brasil. Só demorou porque tive de lidar com as dificuldades de legislação, naturais em atividades com animais", contou. Através da empresa Haya Busa, que em japonês significa "falcão peregrino", Trainini pretende atuar nesta área, que, no país, possui apenas outra empresa atuante, em Minas Gerais.

Em Canoas, Trainini possui quatro animais da espécie falcão de coleira (falco femoralis), com dois anos de experiência em atividade de falcoaria. Todos nasceram em cativeiro e possuem os registros necessários para este tipo de criação. As aves podem viver até 12 anos e têm como principal característica a visão muito boa. "A evolução da natureza as orientou para a caça de aves. As asas, compridas e pontiagudas, permitem manobras aéreas perfeitas e com precisão", destacou. O criador está ampliando a estrutura dos viveiros para a chegada de novosfalcões peregrinos.

A principal função dos falcões é o controle de aves, como pombos, quero-queros, garças, corujas e urubus, em indústrias, aeroportos e bases aéreas. "Nos aeroportos, são usadas equipes de falcões treinados. Diariamente, elas realizam vôos de falcoaria para espantar outras aves, nos intervalos dos vôos comerciais dos aviões." Trainini também oferece seu serviço ao Ibama, na reabilitação de animais oriundos de cativeiros irregulares para devolução à natureza. Um destes hóspedes é o falcão quiriquiri (falco sparverius). "Nesse caso, aplico a técnica de falcoaria para que eles aprendam a caçar, a ter equilíbrio e a realizar vôos livres", disse. O treinamento básico dura cerca de três meses.

Foto: Luciano Bergamaschi/Diário de Canoas

Nota: Tenho essa matéria entre os meus guardados desde 2008 quando saiu no jornal local, chegou a ter destaque nacional, Como estará hoje? Dos urubus, infelizmente, tivemos bastante notícias...

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Você sabia que ...

1 - Você sabia que, de 1956 a 1960 foram produzidos 260 Aviões Paulistinha P56 ? Saiba mais em => www.paulistinhap56.blogspot.com (tuitado em 26/01/2011)


2 - Você sabia que, de 1956 a 1960 foram produzidos 260 Aviões Paulistinha P56 ? Saiba mais em => www.paulistinhap56.blogspot.com (tuitado em 26/01/2011)


3 - Você sabia que, 50 anos depois, ainda existem em torno de 120 aviões Paulistinha ainda voando? Ajude-nos a catalogá-los, mande seu relato...( tuitado em 26/01/2011)


4 - Você sabia que dos 260 Paulistinha P56 produzidos de 1956 a 1960, ainda  existem em torno de 120 voando? ==>>> + de meio século...


Chamadas postadas no Twitter @aviãopaulistinha_p56


Mande sua história, suas fotos. E onde você souber que tem um Paulistinha, mande notícias, ajude a formar a memória desse grande guerreiro que mesmo mais de meio século depois de parar sua produção,  continua na ativa e no coração de gerações de pilotos...


Contato: nilcebravo@gmail.com
Perfis no Twitter: @paulistinha_p56
                             @nilcebravo



terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Pura realidade do dia a dia


ATIS* de Congonhas nas férias:
“Atenção: cuidado com pipas na aproximação final”
ATIS* de Congonhas durante as festas de fim de ano, festas juninas, finais de campeonatos e dias de Copa do Mundo de Futebol:
“Atenção: cuidado com balões juninos na aproximação final”
ATIS* de Congonhas naqueles dias de muito calor e térmicas:
“Atenção: cuidado com urubus na aproximação final”
ATIS* de Congonhas quando operando pista 17, isto é, com aproximação sobre a marginal do rio Pinheiros
“Atenção: cuidado! Grande número de helicópteros na aproximação final”
ATIS* de Congonhas naqueles dias em que voar não é a melhor opção (não importa a época do ano!)
“Atenção: grande número de helicópteros, pipas, bandos de pássaros e balões juninos na aproximação final”Isso SE o piloto conseguir ouvir o ATIS, devido às rádios piratas!!!
*ATIS (AUTOMATIC TERMINAL INFORMATION SERVICE/SYSTEM): serviço automático de informação de terminal aérea, que transmite continua e periodicamente, pelo rádio, informações gravadas de interesse ao piloto, como a pista em uso, pressão atmosférica, ventos etc.
Anotações que se guarda, extraído do bloco de notas de 2008, o que mudou?
Fonte e autoria DESCONHECIDOS; Se alguém souber, please nos informe!


Leia mais, veja todas as postagens do blog, clique em 


http://paulistinhap56.blogspot.com/2011/03/todas-postagens-2011.html 


ou copie/cole o link acima no seu navegador

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Na barreira do som


Na barreira do som

O fotógrafo amador Steve Skinner registrou um caça F-18 cruzando a barreira do som no céu de San Diego! fonte: Pedro Cordier


Veja mais imagens fantásticas, incluindo esta, aqui nesse mesmo blog clique em 
Aviões 2011 - I'm alive



Leia mais, veja todas as postagens do blog, clique em 


ou copie/cole o link acima no seu navegador

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Segredos que os pilotos não contam

A revista Reader's Digest (a Seleções) entrevistou pilotos comerciais e especialistas em aviação para saber o que os passageiros ignoram sobre os voos.









Read more: Segredos que os pilotos não te contam | Blog Brasil Acadêmico http://blog.brasilacademico.com/2011/01/segredos-que-os-pilotos-nao-te-contam.html#ixzz1AMYfAPCs
A verdade é que nós estamos exaustos. As nossas regras de trabalho nos permitem estar de plantão 16 horas sem interrupção. Isso é muito mais horas do que um motorista de caminhão. E ao contrário de um motorista de caminhão, que pode encostar na próxima parada para descansar, não podemos encostar na próxima nuvem.
Capitão de uma grande companhia aérea


Não é sua imaginação. As companhias aéreas ajustaram o horário das suas aterrissagens para terem um histórico melhor de pontualidade. Portanto quando você pega um voo que pensa que durará 2 horas de acordo com o bilhete ele possívelmente levará 1h45min. - Capitão da AirTran Airways, Atlanta

É comum o piloto ligar a luz alertando aos passageiros para afivelarem os cintos. Mas se ele mandar os comissários se sentarem fique atento. Isto significa que vem turbulência pesada pela frente. - John Greaves, advogado de acidentes aéreos e ex-capitão de companhia, Los Angeles


Este negócio de aterrissagem na água não existe. Chama-se colidir no mar.
Piloto, Carolina do Sul




Quando um avião voa e atinge uma grande corrente ascendente, invisível ao radar durante a noite, é como atingir uma lombada em alta velocidade: joga tudo para o ar e depois ao chão com violência. Isto não é o mesmo que turbulência. - John Nance, Analista de segurança aérea e capitão aposentado.


Na maioria das vezes a qualidade da aterrissagem é um indicador da habilidade do piloto. Portanto se quiser dizer algo agradável para ele, ao sair da aeronave fale “Excelente aterrissagem”. Nós apreciamos isso.
Joe D'Eon


É absurdo tanta gente ter medo de turbulência. Os pilotos a evitam não por medo da asa cair, mas porque ela é chata. É impossível turbulência causar uma queda. - Patrick Smith

Um piloto de uma companhia regional disse que as aeronaves que pilotava foram atingidas duas vezes por relâmpagos e afirma que a maioria dos pilotos já passaram por isso. Mas os aviões são construídos para aguentarem. “Você ouve um grande bum e vê um grande flash e acabou. Você não vai cair do céu. - Piloto de uma companhia regional, Charlotte, Carolina do Norte



Segundo um capitão de uma grande companhia ninguém sequer considera andar de carro a 100 km/h sem o cinto afivelado. Mas quando o avião corta o ar a 800 km/h ele apaga a luz de afivelamento do cinto e você o retira. Se o avião atinge um pequeno bolsão de ar a sua cabeça bate no teto.

Quando for reclinar seu assento “pelo amor de Deus” verifique atrás de você primeiro. Muitos notebooks quebram todo ano por que um passageiro decidiu tirar uma soneca e desce o encosto com força total sem preocupação com o que há por detrás de si. - John Nance

Não existe assento mais seguro para escolher dentro de uma aeronave. Mas a área mais suave durante o voo é comumente a asa ou próximo dela. A área mais instável é a traseira, pois o avião é como uma gangorra. Se você estiver no meio não se move tanto. - John Nance



“Não fazemos você guardar seu laptop por estarmos preocupados com interferência eletrônica. É para evitar você ter um projétil no seu colo.” Ninguém quer ser acertado por um MacBook zunindo a 300 km/h.

“As pessoas não entendem porque não podem usar seus celulares. Bem, o que acontece é que 12 pessoas decidem ligar para alguém logo antes da aterrissagem e eu posso ter uma leitura falsa nos meus instrumentos que dizem que estamos mais altos do que realmente estamos.”



“Está com frio no avião? Avise o comissário de bordo. Estamos em uma batalha constante com eles com a temperatura. Eles se mexem o tempo todo pelos corredores, portanto sempre estão ligando dizendo ‘aumente o ar’. Mas a maioria dos passageiros que conheço está congelando.” Afirmou um capitão.

“Sempre falo para os meus filhos voarem com calçados resistentes. Se você tem que evacuar a aeronave e seus chinelos caem você ficará descanço no asfalto quente ou no mato.”

“A maioria das pessoas que adoece logo após voar geralmente não fica assim por causa do ar que respira, mas por causa do que tocam. Sempre assuma que o botão para reclinar o banco ou a bandeja não foram limpas.”

Um piloto afirmou que caso você se preocupe em respirar o ar mais fresco, sente-se na frente, já que o fluxo de ar nas aeronaves é da frente para o fundo. No fundo geralmente é mais quente também, segundo ele.

“Se os pilotos dormem lá [no cockpit]? Certamente. Algumas vezes é só um cochilo de dez minutos, mas acontece.”




“Há pessoas que tendem a pensar que o avião voa sozinho. Confie em mim, não é verdade. Ele pode voar sozinho em alguns momentos. Mas você está sempre com as mãos no controle esperando que ele estrague tudo. E ele estraga.”

“Uma vez eu voei no assento sobressalente de um cargueiro 747, que não leva passageiros. Assim que as portas fecharam o co-piloto foi para os fundos e colocou um roupão e chinelos. Sem brincadeira. Ele disse ‘Eu não vou usar uma gravata para um monte de caixas’”.



“Aliás, não usamos nossos chapéus no cockpit. Na TV você sempre vê estes pilotos com seus caps na cabeça e eles usam os headsets sobre o chapéu e isso sempre nos faz rir.”

“Aqui vai a verdade sobre os empregos em companhias aéreas: Você não ganha tanta folga quanto seus vizinhos pensam, você não ganha tanto dinheiro quanto seus parentes pensam e você não tem tantas namoradas quanto sua esposa pensa. Mas eu ainda não acredito que eles me pagam para fazer isso.” Disse um piloto comercial.



“Estamos indo em direção a uma tempestade com relâmpagos.” O que eles dirão em vez disso: “Parece que teremos um tempo revolto [ou 'chuva'] a frente.”

“Um de nossos motores falhou”. O que eles falam ao invés disso: “Um de nossos motores está indicando estar inadequado”. É mais provável que não digam nada e você nunca saberá. A maioria dos aviões vai bem com uma turbina parada.

“Pessoal, a visibilidade é zero”. O que eles falam ao invés disso: “Parece que há alguma neblina no aeroporto de Washington”.

"As pessoas sempre perguntam: 'Qual é a coisa mais assustadora que já aconteceu com você?' Digo-lhes que foi um passeio de van do aeroporto de Los Angeles até o hotel, e eu não estou brincando." - Jack Stephan

Reader´s Digest



Leia mais, veja todas as postagens do blog, clique em 


ou copie/cole o link acima no seu navegador

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Triple Punch Hole Clouds

Logo que vi as fotos na postagem original na internet, tratei de reproduzir aqui no bloge enquanto isso, fiz contato com o autor das mesmas que em seguida respondeu enviando link de seus álbuns no PICASA, cujas fotos usei para esta postagem.
"i have lived by the sea many years but i have never seen this before" Wesley Tyler

I took the photos on 2011:01:07 at 10:52:54 EST at Latitude: 33.694950° N  Longitude: 78.875528° W it was a normal blue sky day. Wwaley Tyler
1/9
2/9
3/9
4/9
5/9
6/9
7/9
8/9
9/9


Hole Punch Clouds 



Fontes:


http://paulistinhap56.blogspot.com/search?q=Furando+as+nuvens

http://www.spaceweather.com/submissions/large_image_popup.php?image_name=Wesley-Tyler-holepunch1_1294451526.jpg

link to more photos from same day http://picasaweb.google.com/wesleytyler/TriplePunchHoleClouds12011?feat=directlink#5559592122235198098




Leia mais, veja todas as postagens do blog, clique em 


ou copie/cole o link acima no seu navegador

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011